Pelas Ruas de Montmartre

23 de outubro de 2015 | Por Paula B

Nosso primeiro passeio dentro da cidade de Paris foi pelo bairro de Montmartre. Já assistiu o filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain? Então, tem várias cenas famosas pelo bairro, inclusive o Café des Deux Moulins, onde a Amélie trabalhava.

Montmartre é um bairro cheio de contrastes, dependendo de que lado dele você está. Lembra que eu comentei no post dos 10 fatos sobre Paris sobre o cheiro de algumas ruas da cidade? Então, em Montmartre foi onde isso ficava mais evidente. O bairro fica numa região um pouco mais afastada no centro, no 18º arrondissement, e é cheio de colinas, então espere muitas ladeiras para subir. A região mais baixa, perto do Molin Rouge é bem feinha, cheia de neons e letreiros toscos de sex shops. Você sobe um pouco e começam a aparecer lojas populares e de alimentos – essa parte é legal, tem frutas lindas e lojas de queijos (as fromageries). E quando vai chegando lá para cima é que o charme do bairro aparece, com as ruazinhas arborizadas, artistas de rua e todo o charme pelo qual o bairro é famoso.

Aliás, falando em subir… foi em Montmartre que eu, pela primeira vez na vida achei que ia morrer do coração. Sério mesmo, nunca senti uma dor tão forte no peito, parecia que o meu coração ia explodir. Acontece que na saída da estação do metro Abbesses, você vai ver uma fila para pegar um elevador, e se seguir adiante, verá as escadas, por onde quase todos estão indo. E obviamente, já acostumada a ver as escadas do metro daqui de São Paulo e de Nova York, seguimos pelas escadas. Só que eu não esperava que a estação estivesse a uns 10 km de profundidade da superfície! E aí, vc começa a subir, a ficar cansada, e a não tem como parar no caminho pois tem uma multidão subindo atrás. E a escada não acaba nunca! Quando cheguei na superfície, sentei no primeiro banco da praça que vi e fiquei lá tentando recuperar o fôlego e fazer meu coração não explodir por uns 10 minutos. Então fica a dica que eu não vi em lugar nenhum quando fui: se você é sedentário, fique na fila do elevador.

É em Montmartre que está a Basilique du Sacré-Cœur, uma das igrejas mais importantes da cidade. Ela foi construída lá, no alto da maior colina da cidade. Para chegar até ela, mais escadas, ou o funiculaire, que é um bondinho que te leva lá para cima e aceita tickets de metrô. Óbvio, fomos pelo bondinho.

montmartre

montmartre

montmartre

Depois de conhecer a igreja fomos caminhar pelas ruas do bairro. Eu decidi deixar o mapa e a navegação por conta do meu marido, mesmo sabendo que ele é desprovido de senso de direção. Claro que nos perdemos várias vezes até eu me irritar e resolver assumir a navegação pq eu já estava morrendo de fome.

montmartre

O lugar escolhido para o almoço nesse dia foi o Café des Deux Moulins mesmo. O lugar é pequeno e as mesas apertadas, mas não tinha espera quando chegamos. É um lugar simples que certamente iria passar batido pelos turistas se não tivesse servido de cenário para o filme, mas a comida é uma delícia! Eu provei um risotto que estava ótimo (já contei para vocês que eu amo risotto? sempre que tem no cardápio é a minha opção) e claro, crème brûlée de sobremesa, também bem bom (mas o melhor da viagem foi num café perto do hotel).

montmartre

No final do dia, voltando para o hotel, ainda passamos pelo Canal de Saint Martin, mas não consegui entender o motivo da região ter ficado tão famosa. Eu sei que eu já estava mal humorada de tão cansada, mas a verdade é que só um rio com água verde cheio de gente em volta, ou seja, pra curtir tem que estar na vibe. Terminamos o dia jantando no Hard Rock Café, que é uma parada obrigatória para mim em toda viagem que tem um no caminho – afinal eu preciso manter a minha coleção de canecas.

 


Tem 6 pessoas falando sobre o post "Pelas Ruas de Montmartre"


  • Vy disse:

    Sempre que leio sobre Mont Martre fico com vontade de conhecer! Está na minha lista de passeios… E eu nem sou fã de Amelie, hehe…

  • Patthy disse:

    Sou fanzona declarada de O fabuloso Destino de Amélie Poulain, e sou doida para conhecer Montmatre. Mas penso que mesmo que não curtisse o filme, adoro lugares charmosos com detalhes encantadores. Tipo a placa inclinada da primeira foto (para indicar que é subida mesmo, hein? haha). Ou esses postes que são a coisa mais gracinha que me dão vontade de ter um dentro de casa. Ou a trepadeira deixando uma parede cega com muito mais vida.

  • Chell disse:

    Queria ir nesse café, mas tava escuro e a gente ficou meio com receio uahauhaua tava nos planos e não fiz… mas foi nesta igreja que fiquei noiva =D

  • […] Além de ser linda por fora e mais ainda por dentro, ainda é possível subir no alto de sua torre, ter uma vista incrível de Paris e ver os sinos que o Quasímodo tocava (não, pera… isso era no desenho!). E foi aí que eu quase morri pela segunda vez na viagem (a primeira foi aqui). […]

Pin It

No Instagram 📸 @paula_belotti

No Youtube